sábado, 3 de dezembro de 2016

Segue o teu Caminho

Vejo pessoas à minha volta adormecidas por uma alarmante e despreocupada inércia, não só de ações mas também de pensamentos e de ambições, arrastadas para um destino ordinário de concordância e de aceitação, todos merecemos algo melhor, mas para isso temos a obrigação de tomar as rédeas da nossa vida e de lutar pelos nossos sonhos.   
Demorei muito tempo para compreender que tudo se resume ao "amor", essa visão misteriosa de promessas perdidas, envoltas num oceano de interrogações, essa aparição dantesca de prazer que nos murmura um lânguido e inebriante grito escondido!
Eu já conheci o amor, essa força misteriosa que move o universo, essa jocosa promessa de felicidade que nunca se concretiza, esse trepidante sentimento de urgência que só saciamos ao devorar a presença. Eu ainda acredito nele, no seu poder e no seu fascínio, o contrário seria impensável...
No fundo, o fundamental é a nossa capacidade de compreender e de filtrar o que realmente importa, a felicidade no fundo nunca pode ser um destino mas sim um caminho, o amor faz parte do nosso percurso de aventuras, desventuras, alegrias e tristezas e nunca podemos desistir desta aparentemente inalcançável utopia. Ao esperar o melhor da raça humana, estando ao mesmo tempo cientes do seu pior, não temos outra solução senão partir, sem medo de ser felizes e embarcar nesta fugaz, mágica e deliciosa jornada que é a vida.
O futuro parece sempre tão distante, no entanto a imperdoável cavalgada do destino acelera o seu passo a cada dia, a cada minuto, a cada segundo, a prudência recomenda a que as escolhas sejam feitas, a inércia é a nossa maior inimiga. Citando Jean-Paul Sartre, podemos afirmar que ser é escolher-se, e no fundo o mais importante é isto, escolher, não deixar que ninguém o faça por nós, tomar as rédeas da nossa vida e bem ou mal trilhar o nosso caminho com segurança e esperança num brilhante destino.
O mistério da vida e da nossa existência encerra um conjunto de capítulos que se repetem e nos levam a refletir sobre qual é afinal o sentido deste jogo divino, onde o nosso papel não passa de uma página em branco com vários pontos de interrogação e muitos de exclamação.

Temos de enfrentar esta jornada com esperança, e aproveitar a beleza e a felicidade que os pequenos momentos encerram.
O tempo, esse aliado malfadado da eternidade , não se compadece com quem não persegue um futuro melhor, e por vezes o "Mau Caminho", esse caminho mais difícil, cheio de pedras, obstáculos e privações é a chave para essa ideia utópica a que chamamos Felicidade. 





Sem comentários:

Enviar um comentário